Falhas de Segurança

Confira as principais falhas apontadas pelo OWASP Top Ten. Confira!

Confira as principais falhas apontadas pelo OWASP Top Ten. Confira!

Guia aponta falhas que podem prejudicar a segurança de e-commerces: conheça

O que é uma loja virtual? Nada mais do que uma aplicação web — ou seja, um software projetado para ser executado dentro do navegador, sem a necessidade de baixar qualquer arquivo para a memória do seu dispositivo. Como todo software, porém, uma aplicação web pode conter erros em sua programação que, dependendo de sua gravidade, podem ser explorados por criminosos cibernéticos para fins maliciosos. No caso, invadir o seu e-commerce, roubar informações ou até mesmo tirá-lo do ar.

Eis que surge o OWASP Top Ten, um projeto mantido pela comunidade sem fins lucrativos Projeto Aberto de Segurança de Aplicações Web (Open Web Application Security Project ou OWASP). Trata-se de um documento atualizado periodicamente (na maioria das vezes, a nível anual) e que lista as vulnerabilidades de aplicações web mais críticas e comuns que existem. Trata-se de um guia que norteia os desenvolvedores a respeito de falhas que podem ser cometidas - e, o mais importante, como evitá-las.

A edição mais recente do OWASP Top Ten lista os seguintes problemas como os mais desafiadores:

  • 1) Injeção de Código
  • 2) Quebra de Autenticação
  • 3) Exposição de Dados Sensíveis
  • 4) Entidades Externas de XML
  • 5) Quebra de Controle de Acesso
  • 6) Configuração Incorreta de Segurança
  • 7) Cross-Site Scripting (XSS)
  • 8) Deserialização Insegura
  • 9) Utilização de Componentes com Vulnerabilidades Conhecidas
  • 10) Log e Monitoramento Ineficientes
Falhas de Segurança

É crucial que o profissional responsável por desenvolver a aplicação web — seja ela uma loja virtual ou um software-como-serviço (SaaS) — fique atento a esses dez bugs mais comuns. Eles podem ser usados por hackers para injetar códigos maliciosos na loja, atravessar barreiras de autenticação, expor bases de dados que deveriam ser protegidas e assim por diante. O último item diz respeito à falta de uso de ferramentas que permitam manter um registro (log) e monitorar tudo o que acontece no sistema.

Para quem trabalha com e-commerce, o OWASP Top Ten deve ser encarado como uma verdadeira 'bíblia', garantindo assim que a loja seja elaborada com base nas melhores práticas de desenvolvimento seguro. Seguindo essas instruções, fica mais fácil garantir que seu empreendimento possua os níveis mínimos de segurança, e assim os clientes não sofram as consequências de um site que foi construído com falhas. Mas, é claro, é crucial estar atento às atualizações para garantir que o seu projeto esteja sempre adequado com as novas ameaças que surgem diariamente.