Compras Online

Confira algumas dicas para garantir sua segurança em e-commerces

Compras Online

Veja dicas para comprar online com segurança

O comércio eletrônico é, sem dúvidas, um dos frutos mais interessantes que a internet nos proporcionou. Quem imaginaria, décadas atrás, que seríamos capazes de comprar tudo — de roupas a brinquedos, de materiais de construção a alimentos — sem a necessidade de colocar os pés para fora de casa? E, se o e-commerce já crescia a passos largos, com a pandemia do novo coronavírus e a necessidade de isolamento social, esse modelo de negócio recebeu um impulso ainda maior.

Porém, com o crescimento do comércio eletrônico, também cresceu a quantidade de golpes cibernéticos que se aproveitam desse fenômeno para enganar os internautas desatentos. Esses golpes variam desde lojas falsas — ou seja, você faz o pagamento e não recebe nada — até páginas elaboradas com o único intuito de roubar informações financeiras, incluindo o número de seu cartão de crédito. Com isso, os criminosos podem até mesmo cloná-lo e realizar compras ilícitas.

Compras Online

Sabemos o quão satisfatório é fazer uma compra online, mas é crucial tomar cuidado com alguns detalhes para não cair nesse tipo de armadilha. Antes de mais nada, faça uma pesquisa sobre a loja na qual você está comprando — procure reclamações ou depoimentos de outros internautas que fecharam negócio, para saber se os produtos são de qualidade e correspondem ao anunciado. Uma rápida busca pode revelar que um e-commerce não passa de um golpe.

Procure também só realizar compras em lojas virtuais que possuem um certificado SSL — você pode identificá-lo pelo símbolo do “cadeado” ao lado da barra de endereços. O certificado, além de ser um fator a mais que atesta a legitimidade daquele site, também garante que a comunicação entre seu computador e o servidor está protegida por criptografia. Dessa forma, criminosos cibernéticos dificilmente conseguirão interceptar os dados que você insere na página, incluindo o número de seu cartão de crédito.

Por fim, por mais que hoje já exista o PIX e outras formas mais “rápidas” de transferir valores, sempre prefira lojas que utilizam alguma plataforma de pagamento, ou seja, uma empresa terceirizada que gera o boleto, recebe o dinheiro ou autoriza a transação no cartão.

Essas instituições costumam ter uma infraestrutura poderosa de segurança e, caso tenha algum problema com a compra, poderá acioná-las para tentar reaver o valor pago — isso sem contar que, com os gateways, suas informações bancárias sensíveis não ficam armazenadas na loja em si, que pode sofrer um ataque cibernético e expor esses dados.