Casa inteligente

Prós e contras da automatização de residências

Prós e contras da automatização de residências

Casa inteligente: automatizando sua residência sem deixar os hackers entrarem

O mercado de Internet das Coisas (mais conhecido pela sigla IoT, do inglês Internet of Things) explodiu nos últimos anos. Nunca foi tão fácil e barato realizar um processo de automação residencial: basta uma rápida pesquisa nos mecanismos de busca e você encontrará lâmpadas, trancas, câmeras, sensores — todos dotados de conexão com a internet, para que você possa, por exemplo, controlar a iluminação da casa pelo celular.

E não pense que é necessário contratar um profissional especializado para seu projeto. Esses produtos são de tão fácil uso que qualquer pessoa é capaz de instalá-los e configurá-los sem grandes problemas. Parece maravilhoso, não é mesmo? Seria, a não ser por um pequeno detalhe: dispositivos IoT costumam ser uma entrada para criminosos cibernéticos, já que geralmente não dispõem de bons mecanismos de segurança.

A maioria desses produtos (especialmente aqueles de baixo custo, costumeiramente fabricados por companhias chinesas) possuem várias falhas que podem ser exploradas por agentes maliciosos. Com isso, um invasor pode controlar a sua babá eletrônica remotamente, por exemplo. Além disso, tais gadgets costumam vir de fábrica com uma senha padronizada bastante simples (1234, por exemplo).

Casa Inteligente e Segura

Esse cenário é ideal para que um criminoso acesse aos seus aparelhos IoT, que, por estarem conectados à sua rede WiFi residencial, podem comprometer até seu PC, smartphone ou tablet. Por isso, a primeira coisa a se fazer ao decidir investir nesse segmento, é escolher produtos de qualidade, que tenham sido fabricados por marcas de bem estabelecidas, e que não tenham históricos de vulnerabilidades (uma pesquisa na internet pode ajudar com isso).

Outro aspecto importante é trocar as credenciais padronizadas que vêm configuradas de fábrica — nada de “admin” e “1234”. Os meliantes digitais possuem uma série de ferramentas capazes de quebrar passwords fracas como essas em poucos segundos. Leia atentamente o manual de instruções e, durante a instalação, cadastre senhas fortes que sejam difíceis de adivinhar com a chamada “força bruta”.

Por fim, por mais que tal recomendação possa parecer um balde de água fria, é importante analisar o seguinte: você realmente precisa daquele produto inteligente? Há até mesmo alimentadores de animais de estimação conectados com a internet. Quanto mais gadgets IoT você tiver em sua residência, maior será a superfície de ataque que um agente malicioso terá à sua disposição.

Sendo assim, invista somente naquilo que é realmente necessário e que trará facilidades reais em seu cotidiano — o exagero pode acabar trazendo consequências.